domingo, 2 de junho de 2013

RODOVIAS DO FUTURO PODERÃO SUBSTITUIR ASFALTO POR PAINÉIS SOLARES

Solar Roadways (Foto: Divulgação)

Um casal norte-americano desenvolveu um projeto que promete tornar as ruas, avenidas e rodovias mais sustentáveis, além de tecnológicas e seguras. Julie e Scott Brusaw são os responsáveis pela tecnologia Solar Roadways, que prevê a substituição do atual asfalto que pavimenta as vias por painéis solares.
Além de captar energia para alimentar à própria via, os painéis solares poderão ser conectados às casas e construções próximas para fornecer eletricidade. As novas rodovias também poderiam substituir as tradicionais placas que orientam os motoristas, já que qualquer mensagem pode ser inserida diretamente na faixa de rolamento. Além disso, é possível alterar, inserir ou remover um alerta sempre que preciso.
Também será possível reduzir o número de atropelamentos, já que as placas alertam os motoristas sempre que há pessoas ou animais na via. Outro ponto positivo é que os painéis podem ser aquecidos automaticamente para evitar que seja formada uma camada de gelo perigosa ao tráfego de carros.
Além do objetivo óbvio de fazer com que o tráfego de veículos seja mais sustentável, já que as vias serão responsáveis por gerar a própria energia, o projeto prevê que carros elétricos possam ser recarregados automaticamente ao estacionarem em vagas feitas com a nova tecnologia. Outro ponto positivo é que o processo de construção elimina a necessidade de utilizar petróleo, presente durante a produção de asfalto.
Solar Roadways (Foto: Divulgação / Dan Parlane)
O projeto até parece ser simples, mas prevê tecnologias que não existiam há alguns anos e tiveram que ser desenvolvidas especialmente para tornar a inovação viável. Apesar de já existirem painéis solares, o casal Brusaw teve que encontrar uma maneira de tornar possível a passagem de carros sobre as placas eletrônicas. Além disso, foi necessário adaptar a camada de vidro que protege os painéis dos pneus dos veículos para que ofereça atrito e resistência similares aos do asfalto atual. O casal explica que buscou inspiração na resistência encontrada em caixas pretas de aviões. “Nós não sabíamos de que material são feitas as caixas pretas de aviões, mas elas nos davam uma pista sobre como é possível proteger equipamentos eletrônicos dos piores acidentes aéreos”, afirmam.
A tecnologia que torna possível o projeto Solar Roadways foi testada pela primeira vez em 2009, quando o casal foi convidado pelo Federal Highway Administration (órgão responsável por administrar o tráfego nos Estados Unidos) para desenvolver um protótipo de testes. Depois de algumas melhorias, o projeto foi premiado com um contrato de dois anos no valor de R$ 1,5 milhão para realizar novas avaliações. Como resultado, foi construído o primeiro estacionamento cujo piso é revestido de painéis solares em Sandpoint (EUA).
O casal Brusaw acredita que o projeto Solar Roadways poderia eliminar a emissão de gases causadores do efeito estufa em até 50%, o que contribui, também, com a qualidade do ar que respiramos. Eles tem projetos ambiciosos e acreditam ser possível integrar todos os países por meio da tecnologia para que nenhuma região fique sem energia. “Imagine um sistema global em que a metade do planeta que recebe energia solar alimenta a parte que está na escuridão. Nossa dependência por petróleo chegaria a um fim abrupto”, afirmam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Campanha Nacional ZOEIRA? TÔ FORA!

Campanha Nacional ZOEIRA?  TÔ FORA!

Dicas Para Alongamento Para Motociclistas:

É comum ver motociclista no farol se esticando todo, sentindo-se incomodado. Existem formas de evitar o desgaste do corpo e nunca é tarde para fazer alongamentos e exercícios físicos.
O primeiro passo é começar a fazer um alongamento básico, que seria da parte dos músculos das cervicais, do antebraço e do pé.

Para isso, não gastaremos mais do que cinco minutos. Um curto tempo que vai trazer um grande benefício para o corpo. Dá para fazer sozinho, se quiser até em cima da motocicleta, mas o ideal é fora dela.

Fique tranqüilo relaxe os músculos e comece tranqüilamente, sem forçar ou sair de seus limites.
Outra dica é para a garupa, que apesar de não participar diretamente da pilotagem, deve fazer um alongamento para evitar desconforto, já que passa o trajeto inteiro na mesma posição.

Siga as instruções abaixo e depois vá curtir a sua moto.

SEGURANÇA BÁSICA

SEGURANÇA BÁSICA
Você já leu e ouviu isso muitas vezes, mas já parou para pensar no que significa? Andar equipado é mais do que usar corretamente o capacete. É ter proteção para os olhos, mãos, pés, tornozelos, joelhos e cotovelos. Na estrada e na cidade, pois a maioria dos acidentes acontece em áreas urbanas.Lembre-se que o clima quente não justifica negligências com a segurança. Para enfrentar o calor procure escolher o equipamento mais arejado que encontrar. 2. Farol aceso o tempo todo, seja dia ou noite. Lembre-se que, a 40 metros de distância, uma motocicleta pode sumir do campo visual do motorista até mesmo atrás do tercinho pendurado dentro do carro. Por isso, muitas vezes você está fora do foco dos motoristas. O farol da moto aceso ajuda a torná-lo mais visível. Roupas e capacete de cores claras também ajudam. 3. Concentração é fundamental. A moto é mais rápida e menos visível que os demais veículos. Só isso bastaria para exigir muita concentração. Mas tem outra questão. Ela combina pouca segurança passiva com boa segurança ativa. Trocando em miúdos, em geral a moto tem mais facilidade que um carro para livrar-se de situações difíceis (segurança ativa). Mas se o acidente acontecer (segurança passiva), o piloto estará menos protegido do que o motorista. Para que possa usufruir da segurança ativa, o piloto tem de estar atento o tempo todo. Só assim ele pode usar todos os recursos que a moto possui para evitar acidentes. Até aquele antigo ensinamento, que diz “na dúvida, acelere”, só vale se você estiver atento! Por isso, tudo que atrapalha a concentração constitui perigo para o motociclista, principalmente a pressa, o nervosismo, o cansaço e o álcool. 4. Pilote de forma defensiva. A atitude defensiva no trânsito significa dirigir por você e pelos outros, antecipar-se em relação aos erros alheios e demais riscos. Pense que, uma vez envolvido em um acidente, pouco adianta provar que a culpa foi de outra pessoa. Aí o piloto já estará dentro do gesso (na melhor das hipóteses). Então, aprenda a antever as imprudências e erros dos outros. 5. Conheça as ameaças mais comuns. Quando você anda de moto, está sujeito a situações de potencial risco típicas desse veículo. É preciso conhecê-los para saber evitá-los. Um dos principais são as freqüentes fechadas que sofremos no trânsito. Muitas vezes os motoristas não têm intenção de fazer isso, eles apenas não percebem a moto por perto. A atitude mais segura é ter sempre o pressuposto de que o motorista não está vendo sua moto. Mantenha margem de manobra. Não se esqueça de outros pequenos imprevistos que, para um motociclista, são uma ameaça. Um pedestre distraído, um cachorro atrapalhado, um pássaro em rota de colisão com a viseira ou fios/cordas atravessando seu caminho podem provocar acabar com o seu passeio. Necessário destacar que existe a praga das linhas de pipa. Uma linha perdida, deslizando sobre a pele, pode ser um susto embaraçoso. Se ela for revestida com cerol, pode ser fulminante. Corta como uma navalha voadora. No caso de cerol, não confie na proteção de materiais como couro ou náilon (aliás, já estão à venda no mercado hastes metálicas protetoras para instalação no guidão da moto, parecidas com antenas de rádio). 6. Desenvolva o autocontrole. Acelerar uma motocicleta pode ser tão gostoso e excitante a ponto de o prazer embotar a noção de prudência. Por isso, sem autocontrole você pode ser vítima de si mesmo. Adrenalina é legal, mas na hora e no lugar certos. De preferência, num circuito próprio para altas velocidades. 7. Identifique as armadilhas do solo. Em cima de duas rodas não tem jeito. Se você for traído pelo solo numa curva, é provável que vá comprar chão. Piso molhado, areia solta, buracos, costela de vaca e, principalmente, óleo na pista. Esses obstáculos podem estar onde você menos espera. Lembre-se que, na curva, o alcance da visão é pequeno. Também é nas curvas e rotatórias que ônibus e caminhões com tanques cheios derramam diesel. Produtos escorregadios também podem soltar-se da carga (coisas como grãos, leite ou frutas no chão significam perigo de derrapagem). 8. Viajar à noite, não. Pode ser que um dia tenhamos condições propícias para viagens noturnas. Por enquanto, não temos. Pra começar, a maioria das motos não tem iluminação eficiente, embora os fabricantes já comecem a corrigir esse problema em alguns modelos de última geração. Além disso, viseira de capacete não tem limpador. Imagine-se à noite, sob chuva, com a luz dos faróis refletida na viseira molhada. A lama que os caminhões jogam na viseira também atrapalha a visão. Mas o pior de tudo é que a maior parte das rodovias brasileiras é precária e mal sinalizada, não permitindo uma viagem segura durante a noite. 9. Olhe para a frente. De tão óbvia, tal recomendação seria cômica se o motivo não fosse trágico. Muita gente se espantaria se houvesse um sensor capaz de acusar quantas vezes desviamos os olhos enquanto pilotamos. Seja para ver um outdoor, identificar uma moto diferente que passa, observar um tumulto na esquina, “filmar” uma gatinha maravilhosa, admirar a paisagem ou para conversar com o garupa. Uma quantidade considerável de acidentes acontece naquele exato momento em que o piloto detém os olhos no retrovisor ou em algum ponto que não seja à sua frente. 10. Assaltos, um perigo a mais. Como se não bastassem todos esses cuidados e os “abusos” que sofremos no trânsito, agora temos mais um problema. Os assaltantes estão de olho em nossas motos, sejam elas pequenas ou grandes, nacionais ou importadas. Infelizmente, não há muito o que fazer. Reagir não é aconselhável. Acelerar para escapar é outro risco. Então, se estiver sozinho, evite locais onde os assaltantes tenham facilidade de atacar. Geralmente eles usam outra moto para abordar as vítimas. Fique atento sempre que alguma moto com dois ocupantes estiver se aproximando. Quando estacionar, procure escolher locais menos vulneráveis e use algum dispositivo anti-furto na moto. Pensamento positivo Depois de ler essas dicas, você poderá dizer: “se eu sair por aí só pensando em quedas e acidentes, vou acabar caindo mesmo!” De fato. Se você se concentrar no tombo, tem boa chance de cair. Aliás, acontece algo parecido sempre que o piloto quer se desviar de um buraco mas, em vez de olhar para o desvio, fixa os olhos no obstáculo. Vai passar sobre o buraco, com certeza. O segredo é simples: mentalize as reações corretas, pense sempre na conduta segura e não naquilo que você pode fazer de errado.

Nossa Localização

Respeite a Área de Camping

Respeite a Área de Camping

,

,